Livro sobre Alex será lançado este sábado, com a presença do ídolo.

08/05/2017
Ídolo do America, ex-jogador Alex Kamianecky ganha livro-homenagem

Uma história de 13 anos, marcada por identificação, regularidade, liderança e amor. Capitão de um America que encantou o Rio de Janeiro - e o Brasil -, no fim dos anos 60 até o fim da década de 70, o ex-zagueiro Alex Kamianecky construiu no clube da Tijuca uma trajetória tão rara quanto singular, registrada no livro "Alex Coração Americano: o campeão do jogo limpo", livro-homenagem que Sílvio Köhler lança neste sábado, às 13h, na Livraria Folha Seca, no Centro do Rio.

Filho de ucranianos nascido em Hanover, na Alemanha, Alex foi adotado pelo Brasil. A obra detalha sua trajetória de 10 anos sem ser expulso, feito que lhe rendeu, no America, a conquista do Prêmio Belfort Duarte, raro para qualquer jogador de futebol e particularmente mais difícil para um zagueiro. Também estão registradas sua convocação para a lista dos 40 atletas pré-selecionados para a Copa do Mundo do México, em 1970, por João Saldanha, e sua imortalidade para o futebol: a presença de seus pés na calçada da fama do Maracanã.

Quando encerrou sua passagem pelo America como atleta, em 1979, incluiu em seus contratos uma cláusula que o proibia de enfrentar o América. Símbolo de dedicação e disciplina, é, ainda hoje, um dos principais ídolos de muitos torcedores e, para muitos rubros, o jogador mais importante da história do clube. É reconhecido por ter sido um jogador duro, mas sempre leal, que jamais lesionou um companheiro de profissão e, quando tinha oportunidade, aproveitava seu físico privilegiado para subir ao ataque e marcar importantes gols de cabeça.

Radicado em Canoas/RS, Alex já confirmou presença no lançamento, que contará com a presença de outros craques da história do America e da geração em que atuou.
- Sou muito grato à torcida do America e por todo o reconhecimento dela. Tenho certeza de que, ao longo deste período, ela fez muito mais por mim do que eu fiz por ela. São momentos que ficarão em minha memória para sempre, como a Taça Guanabara de 1974, quando tínhamos o melhor time e merecíamos ter sido campeões. A conquista do Prêmio Belfort Duarte também foi um momento muito especial - afirma o eterno camisa três.

Sílvio Köhler recebe com gratidão a oportunidade de contar de perto a história de seu maior ídolo:
- O América para mim se divide em antes e depois de Alex. É nossa maior referência como jogador, exemplo de defesa e honra à camisa do clube. Sua trajetória nos gramados é a síntese do que o torcedor espera dos atletas: Alex atuava como o torcedor mesmo faria se estivesse dentro de campo. O livro é um reconhecimento, uma das coisas mais importantes na vida de qualquer profissional, e que não poderia faltar ao nosso maior símbolo, que será abraçado por toda a torcida do America neste sábado - afirma o autor. A publicação conta com depoimentos de personalidades como Apolinho, Dé Aranha, Edu Coimbra, Iata Anderson, Jairzinho Furacão e Zico.

Local: Livraria Folha Seca - R. do Ouvidor, 37 - Centro, Rio.
Data: 13/5
Horário: 13h
Aberto ao público.

- Departamento de Comunicação - AFC




COMPARTILHE: