Goleiro fará o terceiro jogo pelo Mecão (Marcio Menezes / America Rio)

29/09/2017
Thadeu pronto para defender a meta rubra na decisão

Que a vida de goleiro é diferente da de todos os demais jogadores, já se sabe há muito tempo. Desta vez, o inusitado bateu à porta do Mecão. Durante praticamente todo o Estadual, Thadeu foi um dos reservas de Felipe, titular absoluto da meta do America, que acabou se lesionando durante a semifinal do campeonato, contra o Audax, justamente o jogo do acesso. De repente, ele se viu em campo na partida mais importante para o clube na temporada.

Nesta sexta-feira, Thadeu seguiu com o grupo para Campos, palco da finalíssima deste sábado, contra o Goytacaz, preparado para um novo “jogo mais importante da carreira”. Em meio a um misto de sensações, o goleiro reflete sobre os sentimentos que o momento lhe apresenta.

- Não passava pela minha mente que seria assim. É uma sensação boa e ruim. Boa pela confissão do clube, do grupo, da comissão técnica e do William Bacana em meu trabalho. Ruim pois a chance veio devido à lesão do Felipe, uma pessoa maravilhosa, a quem admiro não só dentro das quatro linhas, como também fora delas. Já o admirava antes de trabalharmos juntos e, com o trabalho cotidiano, estreitamos laços – destaca, antes de lembrar de toda o sentimento de responsabilidade que lhe acometeu no momento de sua estreia.

- Antes de entrar, passou pela minha cabeça que não poderia errar, até porque teria que substituir um grande goleiro, ídolo da torcida, da melhor forma possível. Estávamos ganhando o jogo por 1 a 0, mas se o Audax fizesse um gol todo o nosso trabalho durante seis meses iria por água abaixo.

Um desafio extra para Thadeu foi a inatividade. Ele, que fará seu terceiro jogo pelo America em 2017, já se sente melhor condicionado para as partidas, depois de um enorme período sem disputar duelos oficiais.

- Acredito que esteja melhor do que contra o Audax... (risos). Na nossa posição a inatividade é algo complicado. Vim de longo período fora dos campos. Parei por três anos e voltei ano passado, pelo Nova Iguaçu, onde havia um grande goleiro como há aqui. Lá, o Jefferson raramente saía. A sequência já nos dá um pouco mais de ritmo, embora estejamos sempre aptos, já que tudo no futebol é muito rápido.

O goleiro mostra confiança na reação rubra na decisão deste sábado. Para ele, os erros apresentados no jogo de ida já estão identificados e corrigidos.

- Acredito que jogamos abaixo do esperado e quem acompanhou o jogo notou isso. Iniciamos mal o primeiro tempo, um pouco desajustados na marcação, o que foi o nosso forte contra o Audax. Vale destacar também o ótimo padrão tático do Goytacaz, que é uma pedreira. Em comparação com a etapa inicial, melhoramos muito no segundo tempo, ajustando o que estava errado.

O Mecão encara o Goytacaz neste sábado, no Estádio Ary de Oliveira e Souza, às 15h. É preciso vencer por dois gols de diferença pra ficar com o título. Vitória por um gol de vantagem leva o jogo para os pênaltis.

- Departamento de Comunicação - AFC








COMPARTILHE: