Clube só sofreu três gols no Estadual até aqui (Marcio Menezes / America Rio)

23/01/2019
Deola comenta rendimento positivo do setor defensivo e boa fase individual

Entre os bons e maus momentos do America até aqui no Estadual, o bom desempenho da defesa é um dos destaques positivos. Em seis jogos pelo campeonato corrente, o Mecão tomou apenas três gols, nenhuma vez mais do que um por partida. Mérito para toda a equipe, especialmente para a turma da retaguarda. O goleiro Deola, os zagueiros Lucão e Vladimir e o lateral-esquerdo Quaresma jogaram todas as partidas até aqui. Belarmino, Anderson Künzel, Bruno Santos e Wesley (este último já fora do clube) também integraram o setor em algumas partidas do campeonato.

Para Deola, existem dois fatores fundamentais para esse bom desempenho.

- O entrosamento, sem dúvida, é um dos responsáveis por isso. Praticamente todos, exceto eu, estavam na Série B1 atuando juntos. Eu procuro agregar, falando o tempo todo, pois a orientação minimiza o nosso trabalho. Seja com dois ou três zagueiros, todos treinam forte, inclusive os que não tem jogado. A segunda razão é que um passa segurança pro outro e isso nos torna mais fortes. Mesmo sofrendo pressão, tomamos poucos gols.

A contribuição do goleiro para o bom momento é inegável. Ele tem tido ótimas atuações e ganhou a confiança dos americanos.

- Quando cheguei, houve alguma desconfiança do torcedor. Eu havia feito uma cirurgia no joelho e estava fora do peso. Meu plano era realizar uma espécie de pré-temporada individual antes da minha apresentação ao Fluminense de Feira, que aconteceria em dezembro. O convite do America veio antes e eu não pensei duas vezes - explicou o goleiro, valorizando uma ajuda importante:

- Trabalhar com o Sérgio (Bertolaci, preparador de goleiros) tem me ajudado muito. Quando vi que era ele o preparador, isso me motivou ainda mais a vir.

Faltam apenas cinco jogos para o fim do Estadual para o America, mas Deola promete o mesmo empenho até o último minuto.

- Trocaria todas as defesas que fiz até aqui pela vaga na Fase Principal. Enquanto eu vestir essa camisa vou me doar ao máximo. Disputo cada partida como se fosse, sempre, a mais importante da minha vida. Felizmente o torcedor entendeu isso e viu que, embora eu esteja com 35 anos, tenho muito pela frente, ajudando dentro e fora de campo.

Série complicada
Contra o Nova Iguaçu, no domingo, o Mecão inicia uma série de três jogos como visitante. Neles, o time terá de buscar algo mais do que apenas somar pontos, destaca Deola.

- A tabela não foi muito favorável e teremos de nos superar para trazer pontos importantes. O padrão é ganhar em casa e buscar pontos fora, mas teremos de buscar essas vitórias fora de casa também. Jogamos contra o Nova Iguaçu e eles já demonstraram ser uma equipe forte. No domínio deles, certamente enfrentaremos muitas dificuldades.

A boa atuação contra o Macaé, apesar do empate, reforça as boas perspectivas da equipe.

- Fizemos a melhor campanha entre os times que estão no Grupo X, mas voltou tudo a estaca zero. Nossas chances são grandes, mas temos de buscar tudo de novo. No jogo contra o Macaé, a equipe mostrou tranquilidade e criou chances. Houve mudanças e o nível continuou bom, até melhoramos - lembrou o camisa 1, que pede o apoio dos americanos.

- Nossa torcida tem de continuar ajudando. O momento é delicado e com os dois alinhados, sofreremos menos. Precisamos dessa ajuda. Contra o Nova Iguaçu, eles viram nosso esforço em prol da classificação. O America só voltará a ser grande como sempre foi com esse alinhamento. Com a assinatura do prefeito e o início das obras da nova sede e do shopping, o America estará mais forte ano que vem. Isso é uma pressão boa pra gente (jogadores), pois o clube estará mais forte para sair da Seletiva ano que vem.

- Departamento de Comunicação - AFC





COMPARTILHE: