Lateral chegou ao clube este ano (Marcio Menezes / America Rio)

02/07/2019
Em busca do bi pessoal, lateral Rafinha analisa desafios da Copa Rio

O America estreia nesta quinta-feira na Copa Rio. No caminho, o ascendente Sampaio Corrêa, que promete dar trabalho ao Mecão. No elenco rubro, alguém conhece muito bem a competição: o lateral-esquerdo Rafinha, que pode se tornar bicampeão do torneio, já que levantou a taça ano passado vestindo a camisa do Americano.

O camisa 6 lembrou alguns perigos que o campeonato reserva para os clubes na disputa.

- É uma competição diferente, né? Disputada no sistema de mata-mata e muito dura, pois na maioria das vezes conhecemos os times que iremos enfrentar. No nosso caso, o Sampaio, que já nos enfrentou na B1. Logo, os jogos ficam mais estudados e não podemos vacilar, pois são os detalhes que define as partidas.

O America já bateu o Sampaio em 2019, por 2 a 0, no Estadual. O rival, no entanto, teve mudança de técnico e venceu seus últimos dois jogos. A ordem é manter o espírito guerreiro, tão comum nos comandados de Renato Carioca.

- Essa mudança para a equipe deles foi positiva e não vai ser nada fácil essa partida. Copa Rio é uma outra competição, é um jogo de 180 minutos. Sabemos que o confronto em Saquarema será uma guerra. Eles vão querer ganhar a qualquer custo e teremos de ser inteligentes para aproveitar bem os espaços do campo, que é grande e tem um gramado muito bom. Isso facilita a nossa equipe, que gosta de jogar com a bola e envolver o adversário - explicou Rafinha.

Subindo
Rafinha, que fará seu sétimo jogo pelo America nesta quinta, tem subido de produção gradativamente. Contra o Olaria, foi dele a assistência perfeita para o segundo gol rubro, marcado por Pedrinho.

A adaptação ao clube, hoje plena, tem ajudado o jogador a render seu melhor futebol.

- Graças a Deus tudo está correndo bem. Tentei me adaptar o mais rápido possível, pois temos um grupo que já se conhece faz bastante tempo. Não posso deixar de agradecer a todos do clube e ao torcedor. Todos me receberam muito bem. Vestir essa camisa não é fácil, sabemos do peso que ela tem. Com muita luta e entrega de todos, buscaremos nossas metas.

E para alcançar todos os objetivos da temporada, é necessário ter resistência. A maratona que se aproxima - com jogos no meio e no fim da semana - promete ser intensa, especialmente nos próximos dois meses. Rafinha destaca a importância de um fator fora de campo.

- A palavra é descanso. Nós costumamos brincar que descanso também é treino. Quando você está na sua casa, esticando suas pernas, colocando elas para o alto, isso também é treinamento. Não é fácil. Fora os jogos, ainda há as viagens. Agora em Saquarema, depois em Campos, e isso desgasta muito o jogador. No entanto, temos uma comissão técnica competente, que vai saber fazer o melhor para o grupo superar essa sequência.

- Departamento de Comunicação - AFC