Deola já soma quase 30 jogos pelo clube (Marcio Menezes / America Rio)

17/09/2019
Deola analisa mudança do Mecão durante o turno e vibra com jogos decisivos

Há menos de um mês, o America era lanterna do Grupo A da Taça Corcovado. Duas derrotas seguidas davam a impressão para alguns de que o campeão do turno iria distensionar a estrutura durante o returno, apenas preparando-se para a disputa das semifinais gerais.

Ledo engano. Cinco triunfos seguidos recuperaram a autoestima da equipe e deixaram o Mecão como dono de suas possibilidades. Uma vitória contra o Bonsucesso, na próxima quarta-feira, em Los Larios, dará aos comandados de Ney Barreto a liderança do Grupo A e a semifinal como mandante.

- Conversávamos sobre isso hoje (ontem). Na Taça Santos Dumont precisávamos de um outro time para avançar em primeiro, e isso ocorreu. Agora, com o empate do Artsul, temos a chance de repetir esse feito importante e provar a força da nossa equipe. Foram várias decisões e cinco vitórias seguidas até esse jogo com o Bonsucesso, no qual podemos confirmar a classificação. Sabemos que teremos de dar o máximo para que essa oportunidade efetivamente aconteça depois de um começo difícil. Eu particularmente sofri com a expulsão contra o Duque. Depois veio outra derrota, contra o Barra. Tivemos de ter espírito de decisão dali em diante, pois ficamos para trás e não havia confrontos diretos com nossos adversários do grupo - explicou detalhadamente o goleiro Deola.

A melhor hora sempre está por vir, mas agora a máxima é ainda mais verdadeira. No melhor plano possível, o camisa 1 e os companheiros podem estar a três jogos de confirmar o acesso.

- A decisão é a hora boa de se jogar. São cinco meses reunidos, um mês e meio só de treinos, tudo para disputar acesso e títulos. Agora tá chegando àquela hora pela qual todos trabalham muito. Essa semana pode definir cinco meses de trabalho. Estamos cientes dessa responsabilidade, pra nossas carreiras e para o clube. Jogador tem de se acostumar a decisões e elas formam o jogador. Continuamos, porém, mirando batalha por batalha, como fizemos nos últimos cinco jogos. Se não ganhássemos aquele jogo, não haveria a decisão seguinte, e por aí vai.

Nestas cinco vitórias recentes, o Mecão acertou pontualmente o sistema defensivo. Mesmo com a utilização de muitas peças - cinco zagueiros e dois laterais diferentes em cada lado, por exemplo - o comportamento foi positivo e os números, idem.

- Isso mostra maturidade e é muito legal para todos nós. Os números são expressivos, com apenas um gol sofrido, de pênalti, em cinco partidas - lembra Deola, antes de se colocar neste contexto e defender a posição que ocupa:

- Se o goleiro trabalhou pouco em determinado jogo, esquecem da importância das orientações dadas por ele ao setor ao longo do trabalho. Rodou muita gente nesse turno, em todas as posições. Eu tenho a função de orientar e pude contribuir muito. Teve jogos em que trabalhei pouco, mas fiquei rouco. Quanto mais ajudo no posicionamento, menos trabalho o jogo dá.

A combinação de resultados da última rodada deixou o Bonsucesso assegurado na semifinal geral e, teoricamente, sem pretensões específicas nesta quarta-feira. Isso ajuda ou atrapalha o America? Difícil dizer, diz o camisa 1.

- O Bonsucesso não tem mais chance no turno, mas já está na semifinal geral, independentemente da configuração. Difícil dizer se a posição deles para o jogo ajuda ou atrapalha. Por um lado, podem jogar de forma mais descontraída e promover uma partida mais aberta. Por outro, naturalmente vão querer dificultar ao máximo a nossa classificação. Temos muito a perder, eles não. Precisamos nos precaver. O jogo é difícil e eles têm qualidade.

- Departamento de Comunicação - AFC




COMPARTILHE: