Jogador está bem adaptado ao clube (Marcio Menezes / America Rio)

05/12/2019
Meia Flamel de olho nos atalhos para o sucesso rubro no Estadual

O equilíbrio entre o esforço e a eficiência. Aquilo que só a quilometragem pode dar e que o paraense Flamel, 36, conhece muito bem. Recém-chegado ao America, o meia tem mostrado muita dedicação e bom rendimento, frutos do cuidado com a ferramenta de trabalho: o próprio corpo.

- O segredo é saber o limite, a experiência diz o que se pode ou não fazer. Sentir dor para o atleta é normal, mas não é qualquer dor que te tira do trabalho. Não fiquei fora de nenhum (treino) desde que cheguei e não gosto de ficar. Me conheço bem, venho em boa sequência de jogos, sem lesões, e isso dá confiança - explica o meia, com serenidade.

Além da criação, Flamel tem marcado gols. Esse ano, pelo Goytacaz, na B1, foram oito. O meia assume ser um apreciador das assistências, mas reconhece que aumentar o poderio ofensivo do time é essencial.

- Sempre fui meia e por característica sempre gostei de dar o passe decisivo. Assistência pra mim é gol. Mas o futebol evoluiu e a gente evoluiu junto pra não ficar para trás, por isso os professores pediam pra eu chegar na área para finalizar. Me cobro muito para fazer gols e isso tem acontecido. Ney me pede isso também e isso é um dos fatores que me trouxe para o America - destacou Flamel, antes de elogiar o renovado setor ofensivo rubro.

- Muitos eu não conhecia, mas há muita qualidade aqui. A linha é boa, criativa, técnica e sabem fazer gols. Temos condições de chegar.

Reencontro
Flamel disputará a Fase Preliminar do Estadual tal como fez ano passado, com sucesso, pelo Americano. O meia tem sua receita para repetir o êxito pelo Mecão.

- A Seletiva é muito curta. São cinco jogos, todos encarados como finais. Pedem intensidade, concentração e não te dão o direito de errar. E tem de ser dessa forma pra ter êxito. A equipe esta trabalhando nesse linha de concentração e intensidade. Ney nos cobra bastante isso e todos nós estamos entendendo.

A pressão da torcida por resultados não assusta o jogador, que reforça a confiança na equipe.

- Joguei nos dois maiores do Pará, sei como é a paixão do torcedor, ainda mais aqui no America, que está a algum tempo longe da elite. Sabemos que a cobrança será grande, mas só com trabalho e dedicação a gente muda isso. Quem for ao estádio vai ver superação e comprovar a qualidade do nosso time. Respeitamos os outros, mas queremos ganhar o acesso e o torcedor.

O America estreia no Estadual no próximo dia 22, contra o Macaé.

- Departamento de Comunicação - AFC