Noel (e) e Felipe posam com a bandeira do Brasil para homenagear ex-companheiros. Foto: Netto Sampaio/AFC

12/06/2014
Jogadores do America torcem por sucesso de ex-companheiros na Copa

No atual elenco do America há quatro atletas que podem dizer que conhecem bem alguns dos 23 selecionados para defender a Seleção Brasileira nesta Copa do Mundo. O goleiro Felipe, os laterais China e Noel, e o atacante Marcelinho atuaram com cinco convocados por Luiz Felipe Scolari, lembraram com carinho do período com as estrelas do Brasil e reforçaram a torcida pelo sucesso de seus ex-companheiros na competição.

- Joguei com o Júlio César em 2004, no Brasileiro e na Sulamericana, pelo Flamengo. Ele foi decisivo em muitos jogos, como sempre. Eu já o admirava antes de conhecê-lo e ter jogado a seu lado foi algo sensacional. Gostaria de parabenizá-lo por mais uma Copa que ele vai ter a oportunidade de representar o nosso país. Que Deus o abençoe, que ele possa fazer uma excelente Copa do Mundo e, sucessivamente, ser campeão. Estamos todos torcendo por ele. – disse China.

Outro goleiro da seleção também atuou com um americano. Marcelinho, quando vestia as cores do Botafogo, em 2005, jogou com Jefferson, o reserva imediato de Júlio César. O atacante do America rasgou elogios ao ex-companheiro e comentou sobre um presente inusitado que recebeu do arqueiro.

- Ele sempre foi um cara super do bem e bastante religioso. Nas concentrações sempre fazia reuniões de estudo (da bíblia). Em uma delas ele me presenteou com uma bíblia autografada, que guardo até hoje. Pela pessoa que é e pelo prazer que tive em trabalhar com ele, minha torcida é redobrada. O Jefferson buscou e conseguiu alcançar o patamar máximo de um jogador, que é chegar na seleção brasileira e disputar uma Copa do Mundo, e sei que vai continuar obtendo sucesso.

Felipe, o goleiro do America, teve a oportunidade de jogar com dois dos convocados por Felipão. O camisa 1 do Mecão trabalhou com o atacante Jô e com o meia William na base do Corinthians, de 2000 a 2006. Amigo de longa data dos atletas da seleção, Felipe lembrou que a parceria rendeu títulos até no colégio.

- Difícil enumerar as nossas conquistas pelo Corinthians, mas foram muitas. Fomos campeões até em nossa escola, em São Paulo, onde estudamos juntos. Minha relação com eles era de muita amizade, frequentei a casa dos dois e conheci a família deles. Com o Jô eu perdi um pouco o contato, mas com o William eu falo bastante, pelas redes sociais. E, por tudo o que passamos, minha torcida por eles é muito grande.

Em seus tempos na base do Fluminense, do Sub15 ao Sub20, Noel disputou diversas partidas ao lado de Marcelo, lateral-esquerdo da seleção. No entanto naquele período, de 2003 a 2006, Noel atuou como volante pelo lado esquerdo e, de acordo com o próprio, viveu uma parceria de sucesso com Marcelo. Feliz ao lembrar de sua formação profissional e de ver seu sonho sendo realizado por intermédio de seu amigo da seleção, Noel, emocionado, revelou.

- Parece até que sou eu quem está lá. Até porque, de uma maneira ou de outra, eu ajudei a construir esse sonho que é dele, mas que se torna nosso, porque trabalhamos juntos. Quando vejo ele jogando eu fico torcendo por seus gols e lances, como se eu estivesse em campo, ao seu lado. É muito gratificante ter um amigo na seleção e fico feliz em ver seu sucesso. Torço para que ele possa ser o melhor lateral do mundo nessa Copa e consiga trazer esse troféu para nós, em nome de Jesus – concluiu.

Raffa Tamburini/SportVoice


COMPARTILHE: