01/07/2014
Comunicado Oficial | Conselho de Administração e Conselho Deliberativo


Levando em consideração o ocorrido no clube na data de hoje, no período das 18 às 21 horas, servimo-nos da presente Nota Oficial para esclarecer aos sócios do que segue:

1) O Presidente do Conselho de Administração, Léo Barros Almada, recebeu oficio do sócio Marco Antônio Souza dos Santos, solicitando a designação de Assembleia Geral Extraordinária para destituição dos presidentes do Conselho de Administração e do Conselho Deliberativo;
2) Uma vez recebido o documento, e segundo o Estatuto, foi observado, inicialmente, a necessidade do quórum legal para tal Assembleia;
3) Conforme anotado pela Secretaria, o clube possui, atualmente, 468 sócios adimplentes e 282 sócios especiais, em um total de 750 sócios aptos a votar em Assembleia Geral;
4) Segundo determinação do estatuto do clube (artigo 48, alínea C) é necessário, para convocação de Assembleia Geral, promovida pelos sócios, assinatura de 1/5 de sócios adimplentes, o que daria um número de 150 (cinqüenta) sócios;
5) A listagem do “abaixo-assinado”, além de só firmada por 145 pessoas, está repleta de fraudes grosseiras e gritantes, conforme abaixo:

a) Assinatura em duplicidade dos seguintes sócios, que serão objeto de notitia criminis em sede de juízo penal em decorrência das fraudes perpetradas, já estando os mesmos identificados e inclusos nos autos:
Gilberto Cardeal
José Antônio da F. Peixoto
Rosangela Menegueti
Cid Costa Almeida
Armindo de Barros Ferreira
Rosa Maria Gomes dos Santos
Ana Cristina Martins

b) Não assinaram o abaixo-assinado os signatários dos campos 11, 136 e 139.
c) Nomes ilegíveis sem qualquer identificação, signatários de campos: 15, 16, 20, 40, 63, 77, 82, 91, 106, 107 e 123.
d) Por fim, 83 dos assinantes, identificados como sócios, estão inadimplentes.
6) Tem-se por válidos, portanto, menos de 30% das assinaturas constantes no documento. Todas as demais apresentam fraudes ou vícios insanáveis;
7) A ação nº0212231-82.2014.8.19.0001, movida por Marco Antônio Souza dos Santos, obteve decisão tão somente no sentido de obrigar o clube a abrir a porta de seu hall social, no dia 01 de julho de 2014, no período das 18 às 21 horas, sem referendar nem tampouco validar a reunião, conforme trecho do R. Despacho abaixo:
¨… pretende a parte autora apenas que a parte ré mantenha a possibilidade dos sócios acessarem o hall da sede social para participarem da votação. Não há, em nenhum momento, qualquer alegação ou discussão quanto à validade do escrutínio ou sua correta convocação.”
Assim sendo, e levando em consideração que a reunião realizada em 01 de julho de 2014 é NULA DE PLENO DIREITO, esclarecemos que não houve qualquer alteração dos representantes dos Poderes constituídos do clube.
A administração vem informar que se mantém rígida no seu objetivo de moralizar o clube, e entregar ao quadro social uma nova sede condizente com as tradições do America Football Club.