America Football Club

Entrevista com Romário, novo presidente do America

Compartilhar
Romário, novo presidente do America
O novo presidente do America, o tetracampeão Romário, eleito no último dia 9 de novembro, concedeu entrevista exclusiva para a America TV.

O novo presidente do America, o tetracampeão Romário, eleito no último dia 9 de novembro, concedeu entrevista exclusiva para a America TV. O futuro mandatário falou sobre os objetivos que almeja no futebol, planejamento e o que espera nesses três anos que ficará à frente do clube. Confira a entrevista. 

Em 2024 o America vai completar 120 anos e você será o presidente do clube. Qual a importância de presidir o America nos seus 120 anos?

Olha, primeiro dizer que é uma grande honra, um grande prazer, sinto um momento especial na minha vida, em poder estar fazendo essa entrevista como presidente do America. Sonho já de muitos anos. Sonho esse que começou com o meu pai lá atrás. Quero só deixar aqui bem claro que as primeiras vezes que fui a um estádio de futebol, foram para ver o America jogar. Então assim, eu não estou caindo de paraquedas em relação a história do America. Eu já sou America há 57 anos, quero deixar isso bem claro. Participar da administração do clube nos próximos anos, começar esse primeiro ano com o America fazendo 120 anos, realmente é uma satisfação grande. É claro que a gente sabe que o momento do clube não é um grande momento, pelo contrário, um momento muito conturbado, com muitos problemas nesses últimos anos. O America está passando por momentos bem difíceis. Mas eu sempre fui uma pessoa que gostei de estar em momentos difíceis. É onde que o Romário sempre teve disposição, vontade de vencer. É claro, que eu não faço nada sozinho, a luta é grande. Tenho certeza que eu vou ter muita ajuda aqui no clube, tanto da situação, é claro, quanto da oposição que virá, que é normal. Mas eu estou entusiasmado, estou feliz e tenho certeza que eu tenho muita coisa a dar ao America.

E quais serão as suas primeiras ações como presidente do America?

Como te falei, o America se encontra em momento crítico, difícil,mas eu tenho três grandes objetivos na minha administração. Primeiro, não poderia ser diferente, falando diretamente do futebol, elevar o America a primeira divisão, a partir já desse ano de 2024, formando uma grande equipe e disputar a primeira divisão do campeonato carioca do ano seguinte. No segundo semestre nós temos a Copa Rio, torneio que dá ao campeão e o vice de escolher a Série D do Campeonato Brasileiro ou a Copa do Brasil. Fora do futebol, nós temos um problema crônico esses últimos seis anos, que é o problema que todo americano reclama em decidir o que vai fazer acontecer com a nossa sede social. Eu tive a oportunidade de ver o projeto que existe e é bem ousado, bem interessante e que com certeza isso daria, financeiramente falando, uma nova sobrevida ao clube. O America terá aí, um ganho nos próximos 90 anos que viria desse shopping. Estive pessoalmente ao lado do Sérgio Mattos, do atual presidente Sidney Santana e de alguns membros da diretoria atual, na sede da empresa responsável pela obra e fiquei bem feliz pelo que vi. Um projeto realmente interessante que vai dar uma nova vida ao America. Particularmente eu torço para que isso aconteça porque eu tenho certeza que vai ser muito bom para o clube. Isso é a princípio o que a gente realmente quer e espera que aconteça. Não acontecendo isso, por alguns motivos, a gente tem que resolver e decidir o que vai ser feito do terreno da nossa sede, claro, em prol do America. Uma outra coisa que é bastante e muito relevante, é ver realmente qual é a real dívida que o clube tem hoje. Alguns falam 50 milhões, outros falam 100 milhões. Mas vamos colocar uma empresa para fazer a auditoria pra gente realmente levantar, já no começo da administração o que a gente vai ter pela frente. E claro que muitas outras coisas virão nesses três anos, como fazer uma obra estrutural no estádio e também no CT no Km 18 da rodovia Rio-Petrópolis, em Caxias. São decisões que a gente vai tomar em conjunto com todos que estiverem participando e quiserem ajudar para que o America definitivamente possa superar esses problemas que já vem de muito tempo, de muitos anos. Começar a pensar pra frente e andar rápido.

E como vai ser formado o seu grupo de trabalho?

Fui muito feliz nesse período que eu estive no America, há 12 anos. Talvez algumas pessoas que ali trabalharam comigo, dentro do futebol, eu trago para trabalhar no America de novo. Mas com certeza a gente vai trazer pessoas diferentes, modernas e que possam ajudar o clube de todos os sentidos que eu estou imaginando e que essas pessoas se dediquem ao America, porque a gente vai precisar realmente de pessoas capacitadas, conhecedoras realmente do que vão fazer. É só com esse pensamento que a gente vai conseguir ajudar o America a evoluir, crescer e se modernizar.

Quais são as garantias financeiras que você traz ao America?

Nenhuma garantia financeira. Todos sabem que foi sempre colocado nos últimos seis meses, já que essa conversa sobre a possibilidade de ser o presidente do America começou há seis meses, meu objetivo é correr atrás de parcerias e de formas legais reais que a gente possa trazer, pra que essas dívidas possam ser pagas dentro do menor tempo possível e salvar o clube. Hoje eu não tenho e não posso fazer promessa de nada, porque não tem nada assinado ainda. Tem apalavrado, conversado, mas documento ainda não tem, até porque eu nem poderia assinar, porque só posso assinar algum tipo de documento pelo America a partir do dia seis de janeiro, que será oficialmente a minha posse e partir daí eu posso dar uma resposta diferente. 

Quais são os projetos de reforma para o Estádio Giulite Coutinho e a Sede das categorias de base no Km 18?

Os projetos que eu tenho para a reforma do estádio e do CT no Km 18, são projetos que com certeza acontecerão, isso eu posso te afirmar. Mas como afirmei antes, existem três prioridades e essas, com certeza são as que a gente está pensando a curto prazo. Não é o caso da dívida, porque não se consegue pagar o valor, algo que vamos levantar em curto prazo. Mas esses são os três objetivos. É claro que a gente conseguindo empresas que queiram vir para ajudar o America, a gente vai fazer o máximo possível para também colocar essas duas situações nesses próximos objetivos. 

Você acredita que uma SAF no America seja uma solução para o clube voltar aos seus tempos de glória?

Eu entendo que a SAF é a modernidade do futebol, principalmente quando se fala em clube que está na situação do America hoje, devendo muito e não tendo nenhuma receita. Mas hoje não é a prioridade. Ah, pode acontecer a SAF no America? Pode, mas a gente não tem essa, pelo menos eu e as pessoas que me acompanham, não tem essa prioridade de fazer com que o America vire uma SAF. Se tiver que virar, vai virar, até porque a gente precisa dos conselhos e os próprios conselhos vão ser aqueles que vão decidir em relação a isso.

Em 2009 você esteve no clube como Gerente de Futebol. O que levou de experiência daquela época?

Gerente de um clube está longe de ser o presidente, então assim, o meu papel naquela época era relacionado 100% dentro de campo, que foi o acordo que eu fiz com o presidente da época. Eu não posso te dizer que em relação aos erros que aconteceram no clube, na época, porque eu não era o presidente. É a primeira vez que eu tenho a oportunidade de ser presidente. Se você me perguntar que tipo de experiência você tem? Nenhuma. Não posso mentir. Aprendi na vida que a experiência a gente só aprende na prática e ao longo do tempo. Estou me relacionando com muitos que aqui passaram, que aqui estão. Inclusive eu tenho uma boa relação com alguns ex-presidentes do America. Eu tenho certeza que logo, como eu tenho muita vontade de conhecer definitivamente tudo o que acontece, dentro do America eu vou ter, com Deus me iluminando e me dando sabedoria para escolher as pessoas certas para trabalhar comigo, a gente vai em breve entender realmente como é o America e trabalhar para fazer tudo que o clube merece que é voltar a ser esse time querido e amado por muitos.

Onde o Romário espera que o America esteja daqui a três anos, no fim do seu mandato?

Primeiro, em relação ao futebol, é na primeira divisão do Campeonato Carioca e, sinceramente, uma série C ou B do Campeonato Brasileiro. Isso não é uma promessa, é uma esperança que eu tenho de que a gente consiga fazer isso com o nosso trabalho. Em relação aos outros problemas, que são prioridade, torcer para que a gente possa resolver esse problema da sede, para que realmente se defina o que que vai acontecer com aquele terreno do America. E que essa dívida, daqui a três anos, seja menor, e porque não, se Deus quiser, não existir mais. Essas são as ideias como presidente e são os legados que eu quero deixar aqui nesses três anos como presidente.

Se seu pai estivesse vivo hoje, qual conselho ele daria a você?

Para eu fazer na presidência do America, o que eu fiz quando fui jogador e o que eu faço hoje na política. Me dedicar ao máximo dentro do tempo que eu puder, trabalhar firme, ser um cara correto e tenho certeza que essas palavras que estou dizendo ele está lá em cima ouvindo e torcendo para que tudo isso realmente se realize e aconteça.

Romário toma posse como presidente do America, no próximo dia 6 de janeiro de 2024. 

Relacionados

Comunicado

Diretrizes Eleição do Conselho Deliberativo

Gostaríamos de convocá-los para a próxima reunião do Conselho Deliberativo, que ocorrerá no dia 1° de abril de 2024, às 19h, no auditório da SINOREG/RJ, localizado na Rua da Ajuda, 35, 4° andar 1, Centro.

Newsletter

Scroll to Top